Novidades

Cigarro causa mais de 50 tipos de doenças, incluindo câncer

Somente no Brasil, 428 pessoas morrem a cada dia vítimas do tabagismo.

Produto também pode levar à irritabilidade e depressão. Veja dicas para vencer o tabagismo

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), mais de 150 mil pessoas morrem anualmente no Brasil por complicações associadas ao tabagismo. São 428 vítimas a cada dia. Não à toa, a Organização Mundial da Saúde instituiu uma data para alertar sobre os riscos do hábito: 31 de maio – Dia Mundial de Combate ao Fumo.

O tabagismo também é considerado a principal causa de morte evitável no mundo. Segundo o cardiologista Everton Padilha, dentre as mais de 50 doenças associadas ao uso de derivados do tabaco estão as coronarianas (angina e infarto do miocárdio), bronquite, enfisema, osteopenia, osteoporose, artrite reumatoide, diabetes tipo 2, câncer (nos pulmões, brônquios, boca, laringe, faringe, orofaringe, traqueia, pâncreas, fígado, vesícula biliar, estômago, esôfago, rins, bexiga, cólon, reto, uretra, colo do útero e sangue) e doenças vasculares (incluindo derrame cerebral), além de diminuir a imunidade e potencializar inflamações.

Fumar ainda pode causar impotência sexual no homem, além de afetar o esperma (o que pode reduzir a fertilidade e aumentar o risco de abortos e deficiências no feto), causar complicações na gravidez (partos prematuros, morte intrauterina, síndrome da morte súbita infantil (SIDS), gestação fora do útero (ectópica), fenda palatina, etc.), aneurismas arteriais, úlceras no aparelho digestivo e infecções respiratórias.

Em relação à estética, aumenta os fatores inflamatórios na pele, diminui a quantidade de oxigênio necessário para a sua regeneração e degrada o colágeno; isto acelera o aparecimento de rugas, altera a hidratação e contribui para o envelhecimento precoce.

“Fumar relaxa”. Será?

“Esse efeito é enganoso”, afirma o cardiologista. “Apesar de a nicotina aparentemente aumentar a concentração e o bem-estar, a maior parte deste efeito é mera sensação pela dependência psicológica do cigarro. A longo prazo, o hábito aumenta a irritabilidade, impaciência, hostilidade, ansiedade, depressão, piora a concentração, dificulta o relaxamento e aumenta a frequência cardíaca. E adicionalmente, apesar de a cultura popular disseminar que o ‘cigarro emagrece’, a longo prazo ele pode propiciar o ganho de peso.”

Cigarros “do bem”?

Nos últimos anos, alguns produtos ganharam popularidade, principalmente entre os jovens, por serem considerados “inofensivos à saúde”. São os narguilés (cachimbos de água com tabaco aromatizado) e as cigarrilhas eletrônicas (com essência de nicotina pura ou adicionada de aromatizantes). No entanto, Padilha explica que, apesar de esses produtos apresentarem uma menor absorção de alguns componentes tóxicos, a nicotina – que é uma das causas reais da dependência ao cigarro – continua ali, muitas vezes em maior concentração, podendo causar arritmias cardíacas. Além disso, algumas essências contém diacetil, que causa bronquiolite obliterante.

Mudanças no estilo de vida contribuem para abandonar o vício (Foto: Shutterstock)

Tentando deixar o cigarro? Siga as dicas:

  • Evite locais com muitos fumantes;
  • Evite consumir bebidas alcoólicas e estimulantes;
  • Quebre a rotina. O hábito de fumar, geralmente, está relacionado a momentos específicos, como após acordar ou almoçar, ou tomar uma xícara de café. Então, mude o local da refeição e varie os pratos e horários das atividades;
  • Busque apoio da família e amigos;
  • Não troque um vício por outro. Comer fora de hora para aplacar a vontade de fumar, por exemplo, não é uma solução;
  • Resista! O impulso por um cigarro dura apenas alguns minutos. Tenha em mente a frase “decidi parar de fumar”;
  • Reformule seus hábitos, tirando aquilo que é ruim e introduzindo fatores naturais e simples. Uma dica são os oito remédios naturais, recomendados pela Igreja Adventista;
  • Se cair, não desanime! As maiores conquistas da vida não vêm de impulsos momentâneos, mas são construídas dia a dia, exercitando a força de vontade. Lembre-se, ainda, de buscar forças em Deus, pois é Ele “quem produz em vós tanto o querer como o realizar, de acordo com a Sua boa vontade” (Filipenses 2:13).

Curso Como deixar de fumar

A Igreja Adventista possui uma iniciativa de combate ao tabagismo. O programa Como deixar de fumar promove cursos gratuitos e cede espaços em salas dos próprios templos, ou firma parcerias com prefeituras, com o objetivo de ajudar quaisquer pessoas que estão tentando parar de fumar. Para mais informações, clique aqui para encontrar uma igreja adventista próxima a você.

Facebook Comments

sobre saude7 saude7

Além disso, verifique

Chorar faz bem? Descubra!

Chorar faz bem: não é só uma expressão emocional natural, mas também é saudável, com …

Deixe uma resposta

×

Portal Saúde comciência

Cuidar da Saúde é o Princípio de Deus...

× Atendimento Online!